O MINISTERIO DA CULTURA, A ENGIE E A PREFEITURA DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO - SECRETARIA MUNICIPAL DE CULTURA Apresentam / Present:
slider18

Romual Kabore

Em  on 17/08, 18/08, 21/08 , 03/09 e 05/09

ROMUAL SANS D (27 min)

Meu processo de criação foi inicialmente inspirado nos ideogramas visuais de Jean-Pierre Hamon e tem como alicerce quatro verbos recorrentes de um dos poemas desse artista: vir, perder, ver e sonhar. Tentei sentir como eles ressoavam em mim e, em seguida, tentei encarná-los no movimento e descobrir como esses gestos podiam se encadear e conferir sentido. Nesta performance-solo, minha intenção é que a dança conte o que caracterizou o meu itinerário até o momento presente: foi uma jornada perpassada por conflitos, separações, movimentos contrários. Nesta aparente instabilidade, também me é dado assumir o risco do reencontro, de rumar ao desconhecido e de fazer surgir uma linha clara que transcende. Talvez este projeto tenha me mostrado que é possível tomar em mãos o meu próprio destino, sonhar a minha dança e ser ator de tudo isso. A música de Tim Winsey e a sonoridade da minha língua materna, o Mooré, são como parceiros da minha dança e me permitem chegar o mais perto possível do meu imaginário. Quando nasci, a pessoa que escreveu o meu primeiro nome na certidão de nascimento esqueceu a letra ” Eu sempre corri atrás desse “D”… Romual Kabore foi agraciado com o programa de residência internacional VILLE de PARIS/ INSTITUT FRANÇAIS em Récollets, em 2014.

My creation process was initially inspired by the visual ideograms by Jean-Pierre Hamon and is based on four recurring verbs from the poems by this artist: come, loose, see and dream. I tried to feel how they resonated in me and then tried to incarnate them in movement and to discover how these gestures could connect and become meaningful. In this solo performance I intend to present what my journey has been like up until now: it has been influenced by conflicts, separations and contrary movements. In this apparent instability I have had to assume the risk of reuniting, of moving towards the unknown and giving rise to a clear line that transcends. This project has shown me that it is possible to take my destiny into my own hands, to dream my dance and to be an actor of all this. The music by Tim Winsey and the sonority of mother tongue, the Mooré, are like partners of my dance and allow me to get as close as possible to my imagination. When I was born the person who wrote my first name on my birth certificate forgot to the letter “D”. I have always been looking for this “D”… Romual Kabore was awarded the international residency program at VILLE de PARIS/ INSTITUT FRANÇAIS, Récollets, in 2014.

 

Agradecimentos/Ackowledgements: Centro de desenvolvimento coreográfico Termitière, em Ouagadougou/Center for Choreographic Development in Ouagadougou, Projeto Chrysalides/Chrysalides Project, Teatro Louis Aragon de Tremblay, na França/ Louis Aragon de Tremblay Theatre in France, Fórum de Blanc-Mésnil/ Blanc-Mésnil Forum, Associação Onno/Onno Association, Lacina Coulibaly, Herman Diephuis, Dalila Khatir, Françoise Lebeau e/and Marius Sawadogo. Conception et interpretation/Conceito e interpretação/Concept and Performance :Romual Kabore | Musique/Música/Music : Tim Wensey |Librement inspiré de l’alphabet visuel chorégraphique de Jean-Pierre Hamon, peintre-graphiste et Laurent Poujoulat, informaticien Freely inspired by l’alphabet visuel chorégraphique by Jean-Pierre Hamon, painter, and Laurent Poujoulat, computer programmer.

 

Classificação etária: livre.

Suitable for all ages.